terça-feira, 27 de setembro de 2011

Conservação de Alimentos na Idade Medieval



A partir de agora, o que vamos ler vai nos parecer algo novo e que podemos encontrar em fazendas ou cidades do interior, mas o inicio da História começa no séc. VIII.

Os métodos de preservação dos alimentos eram basicamente os mesmos utilizados desde a antiguidade, o mais comum e mais simples era expor os alimentos ao calor e ao vento para remover a umidade, o que prolongava a durabilidade, se não o sabor de quase qualquer tipo de comida, de cereais a carnes; secar o alimento funcionava por reduzir drasticamente a atividade dos vários microorganismos dependentes da água, que causam a deterioração. Muitas regiões devido ao frio intenso e a umidade, eles lavavam bem os alimentos e os colocavam em cimo do fogão a base de lenha ou em seus fornos ou expostos aos fortes ventos ou em lugares quentes: porões, sótãos, e às vezes até mesmo nos cômodos das moradias.
Já nos locais de clima mais quente os alimentos eram deixados ao Sol e e expostos a ventos muito fortes.

A defumação, a salga, cristalização ou fermentação também fazia durar mais. A maior parte desses métodos tinha a vantagem de encurtar o tempo de preparação e de introduzir novos sabores.
Algumas vezes as carnes eram guardadas nas próprias banhas dos animais, um método de conservação natural. A maioria das vezes eram carnes prontas.

Havia a tendência de salgar muito a manteiga para que não estragasse, mas somente nas altas sociedades pelo valor agregado do sal. Os vegetais, os ovos e os peixes eram também frequentemente conservados como picles ( conservados em vinagres feitos dos vinhos brancos) em potes emérticamente fechados, contendo salmoura na ausência de vinho utilizava líquidos ácidos (suco de limão, vertjus, um suco extraído de uvas não maduras).

Algumas vezes criavam uma vedação em volta o alimento cozinhando-o em açúcar ou mel, dependendo do alimento eles faziam um envolto com ceras de abelha.
Quando não havia nenhum tipo de conservação para longos períodos, eles deixavam fermentar por bactérias. eram transformadas em bebidas alcoólicas, o leite era fermentado e curado para a fabricação de muitos tipos de queijos ou leitelho, os grãos eram moídos para obter diversos tipos de farinhas.
As frutas eram cozidas com condimentos e guardadas em potes.
Quando a safra de cereais e grãos eram fartas, eles as misturavam com alhos descascados a cada 3 dedos do pote, assim evitava dar bichos. (uma dica eu faço isso até hoje em casa, e realmente não tem carunchos.

Na época em que minhas tataravós moravam no Norte da Itália e Iugoslávia, a neve chagava a ficar durante 4 meses até mais da metade das portas da casa, era impossível sair. E esse método era utilizado para estocagem de alimentos para passar o inverno, já faziam uma estocagem para 6 meses.

Conservação de condimentos.

Os condimentos eram conservados por método de secagem no verão / primavera, eram colocados no sol e depois em uma leva passada pelos fornos. Usavam pilãos para deixá-los em pó. Mas muitas vezes quando queriam ervas mais frescas, faziam processo de secagem da água em forno (tempo muito reduzido) e eram guardados em azeite e alho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário